(17) 3211-2900
uniradio@terra.com.br

Radiocirurgia Estereotáxica Cerebral

É um tratamento para os tumores cerebrais, não invasivo e ambulatorial, que permite que se trate tumores (benignos ou malignos) por intermédio de um procedimento estereotaxico, isto é, dirigido, onde se consegue destruir o tumor com as radiações ionizantes sem lesar qualquer outra estrutura cerebral vizinha, principalmente estruturas e regiões nobre do cérebro, com a máxima eficácia e segurança.

Esta técnica é o resultado da união de uma equipe multidisciplinar formada por radioterapeutas, neurocirurgiões, neuroradiologistas e físico médico.

Radiocirurgia Estereotáxica Cerebral

Como agem as radiações ionizantes no tumor?

Elas bloqueiam ou interrompem o processo de divisão celular das células tumorais, fazendo com que estas células sejam eliminadas. Este processo é chamado de morte celular pela radiação ou apoptose.

Radioterapia tridimensional

A conformalterapia ou radioterapia tridimensional (3D), é um procedimento no qual o tumor é totalmente atingido pela radiação, sendo destruído, sem que haja lesão ou comprometimento dos tecidos ou órgãos vizinhos.

É bastante usado no tratamento do câncer de próstata, bexiga, reto, e outros tumores como o câncer do esôfago, pulmão, mediastino e outros. Esta técnica necessita de um planejamento minucioso em 3 dimensões.

Precisão

Os avanços da informática médica produziram um grande impulso na radioterapia, com o emprego de computadores de ultima geração aliados a um programa que permite tratar somente o tumor, e proteger os tecidos vizinhos.

A radioterapia é uma das formas mais eficientes de tratamento do câncer. De 70% a 80% dos portadores de tumor maligno (neoplasias) utilizarão em alguma fase do tratamento oncológico, a radioterapia.

Ela pode ser usada como pré-operatório, para regredir o tumor e torna-lo operável; pré-operatório ou intra-operatório; no pós-operatório, ou também em alguns casos exclusivos com ou sem quimioterapia. Ou ainda paliativamente, quando se pretende amenizar a dor, ou compressão em órgãos vitais, diminuindo o sofrimento do paciente.

Hoje, na maioria das vezes a radioterapia é usada, junto com a cirurgia e quimioterapia, para aumentar as chances de cura do paciente.

Comments are closed.